OBTENHA MAIS INFORMAÇÕES SOBRE O QUE OS MELHORES COMÉRCIOS E PRESTADORES DE SERVIÇOS DE SILVÂNIA E REGIÃO, TEM PARA LHE OFERECER, CLICANDO SOBRE OS ESPAÇOS DE PUBLICIDADE ABAIXO:

sábado, 29 de outubro de 2016

Oferecida denúncia contra engenheiro agrônomo por morte de fisioterapeuta em Vianópolis.


28/10/2016 - 17h10 - Criminal

imprimir

Crime ocorreu no último dia 8
Crime ocorreu no último dia 8
O Ministério Público de Goiás ofereceu denúncia, na última quarta-feira (26/10), contra Diego Henrique Lima pelo feminicídio da fisioterapeuta Caillane Raquel Marinho, ocorrido no dia 8 de outubro, em Vianópolis. Em razão de novas informações sobre o caso, os promotores Jean Cleber Cassiano Zamperlini e Julimar Alexandro da Silva, promoveram hoje (28/10) o aditamento da denúncia, com a atualização do horário da morte da vítima.
Segundo o apurado, Diego Henrique e Caillane mantiveram relacionamento conjugal por cerca de 10 meses, marcado por crises de ciúmes e agressões verbais do denunciado. No dia do crime, inclusive, a fisioterapeuta enviou a seguinte mensagem à sua mãe: “To cansada, sem esperanças, ele não vai mudar. Se eu quiser vai ter que ser assim”. 
Por volta das 15 horas, conforme denúncia, Caillane retornou para sua casa, em um veículo Fiat Punto, e passou a conversar com o jardineiro que prestava serviço no local. Durante a conversa, a vítima permaneceu no carro, estacionada entre a garagem e a calçada até a chegada de Diego. O engenheiro agrônomo, então, pagou pelos serviços de jardinagem e já iniciou uma discussão com a Caillane, que tentou sair do local e foi impedida por Diego. Segundo consta, ele pressionou o controle remoto do portão, prensando o veículo da fisioterapeuta.


Instantes depois, dentro do quarto do casal, o denunciado, que é atirador filiado, sorrateiramente sacou uma de suas armas de fogo, atirando à queima-roupa sem que a vítima percebesse. O tiro atingiu Caillane na região atrás da orelha direita, salienta a acusação. Após o disparo, de acordo com a denúncia, Diego foi até a garagem e estacionou o veículo da vítima. Em seguida, com a intenção de ocultar as provas, recolheu a mídia das câmeras de segurança e destruiu o celular da fisioterapeuta, levando consigo o chip. Depois, fugiu do local.
Apesar de o disparo ter ocorrido no fim da tarde, por volta das 15h30, as investigações apontaram que a vítima só faleceu no final da noite, entre 21h30 e 23h30, ou seja, após longo sofrimento. Diego, por sua vez, só comunicou o crime na manhã do dia seguinte, por intermédio de um advogado. Apesar disso, o denunciado ainda apagou a página da rede social Facebook durante a tarde, com o propósito de dificultar o trabalho da polícia.
Para os promotores Jean Cleber e Julimar Silva, Diego Henrique atirou contra sua companheira de forma livre e consciente, por não aceitar o fim do relacionamento. Ressaltam ainda que o denunciado utilizou de meio cruel ao não buscar ou permitir o socorro à vítima, além de ter dificultado sua defesa ao atirar de surpresa.
O MP, assim, denuncia Diego Henrique pelo crime de homicídio, descrito no artigo 121, §2º, do Código Penal, com as qualificadoras de motivo torpe, meio cruel e feminicídio. (Texto: Ana Carolina Jobim/ Estagiária da Assessoria de Comunicação Social do MP-GO/ Supervisão de estágio: Ana Cristina Arruda)
Fonte:Reprodução/MP-GO

Nenhum comentário:

Postar um comentário