OBTENHA MAIS INFORMAÇÕES SOBRE O QUE OS MELHORES COMÉRCIOS E PRESTADORES DE SERVIÇOS DE SILVÂNIA E REGIÃO, TEM PARA LHE OFERECER, CLICANDO SOBRE OS ESPAÇOS DE PUBLICIDADE ABAIXO:

sexta-feira, 18 de novembro de 2016

Colégio de Anápolis demite professores suspeitos de assediar alunas sexualmente.




Administração da escola decidiu afastar três docentes após denúncias de estudantes do 3º ano. MPGO apura o caso 
Colégio Delta/Google Maps
Colégio Delta/Google Maps
Três professores do renomado Colégio Delta da cidade de Anápolis foram demitidos nesta semana, suspeitos de assediarem sexualmente alunas do ensino médio. A investigação (que ainda é sigilosa) está sendo feita pelo Ministério Público de Goiás (MPGO), que detalhará o caso no dia 24 de novembro
.
Em entrevista ao Jornal Opção, o diretor da unidade, professor Augusto, confirmou a informação e explicou que a escola está apurando as denúncias junto à Justiça. Contudo, como medida cautelar, decidiu afastar definitivamente os docentes envolvidos.
“A escola está unida com o MP, em prol da elucidação dos relatos, para que seja extirpada qualquer situação que realmente possa causar prejuízo aos alunos. Todos os casos estão sendo investigados e medidas preventivas foram tomadas com muito rigor”, explicou.
De acordo com ele, a investigação começou com a denúncia de uma das adolescentes que teria sido assediada por um professor. Depois do episódio, outras alunas procuraram a direção do colégio. Os pais acionaram a promotoria de Anápolis e procuraram a Polícia Civil — que instaurou inquérito para apuração.
Questionado se há provas, como imagens e registros de conversas por mensagens nos celulares das supostas vítimas, o diretor afirmou que, ao que tudo indica, sim.
“Ainda é um processo sigiloso, que depende de confirmação na Justiça. Deixo claro que os três foram afastados não por fato conclusivo, mas entendemos que, apenas pela suspeita, fez-se necessário o desligamento imediato”, arrematou.
Se o crime for confirmado, os três acusados podem ser condenados de um a dois anos de prisão por assédio sexual, com pena aumentada em até um terço já que as supostas vítimas são menores de 18 anos.
Fonte:Reprodução/Jornal Opção.

Nenhum comentário:

Postar um comentário