OBTENHA MAIS INFORMAÇÕES SOBRE O QUE OS MELHORES COMÉRCIOS E PRESTADORES DE SERVIÇOS DE SILVÂNIA E REGIÃO, TEM PARA LHE OFERECER, CLICANDO SOBRE OS ESPAÇOS DE PUBLICIDADE ABAIXO:

segunda-feira, 25 de março de 2019

Fantástico desenterra caso de traição e assassinato que envolveu João de Deus em Anápolis.

Há mais de 40 anos, o processo está guardado na 4ª Vara Criminal do Fórum da cidade

Internado em um hospital de Goiânia após o diagnóstico de aneurisma abdominal, o passado sombrio do médium João de Deus foi a principal pauta do Fantástico, neste domingo (24).

Entre novas acusações do Ministério Público que denunciou o religioso por mais um crime sexual, o jornalístico da Rede Globo desenterrou um dos primeiros casos que o espírita respondeu na Justiça.

Ocorreu em janeiro de 1980, em Anápolis, quando o taxista Delvanir Cardoso Fonseca, de 34 anos, foi assassinado e teve o corpo jogado em uma região de pântano da Vila Brasil.

A investigação à época identificou um dos autores dos disparos como sendo Nady Antunes Cintra, com 25 anos na ocasião. O mandante do crime, apontado pela Polícia Civil, teria sido João de Deus, após descobrir que taxista seria o amante da esposa dele.

Há mais de 40 anos, o processo está guardado na 4ª Vara Criminal do Fórum de Anápolis, constando que Nady foi julgado e condenado, mas nunca cumpriu a pena.

Já João de Deus acabou absolvido por falta de provas. Apenas uma testemunha sustentou ter ouvido, dias antes, da boca da  vítima, que o curandeiro o ameaçara de morte por conta do relacionamento extraconjugal.

Fonte: Portal 6
Reprodução: Anápolis Notícias Urgentes.

Curta e siga a página do Blog Olhar Cidadão Silvaniense, no Facebook, e também fique atualizado com as lives (vídeos ao vivo) que poderão ser produzidos e visualizados a qualquer momento.

PUBLICAÇÕES PODERÃO SER ATUALIZADAS A QUALQUER MOMENTO.

BLOG OLHAR CIDADÃO SILVANIENSE, REFERÊNCIA EM INFORMAÇÃO, INDISCUTIVELMENTE, VOCÊ BEM INFORMADO!

COMENTÁRIOS QUE NÃO TENHAM O MÍNIMO DE RESPEITO, SERÃO DELETADOS.

Nenhum comentário:

Postar um comentário