OBTENHA MAIS INFORMAÇÕES SOBRE O QUE OS MELHORES COMÉRCIOS E PRESTADORES DE SERVIÇOS DE SILVÂNIA E REGIÃO, TEM PARA LHE OFERECER, CLICANDO SOBRE OS ESPAÇOS DE PUBLICIDADE ABAIXO:

sexta-feira, 21 de julho de 2017

Goiana é presa acusada de cometer 31 estelionatos no Distrito Federal.

Nesta terça-feira (18), Larissa Borges da Silva, de 29 anos, foi presa acusada cometer 31 estelionatos na região de Asa Sul, no Distrito Federal. Segundo informações do Jornal Extra, Larissa é conhecida como a 'rainha dos golpes' e vivia deles. Ela utilizada a beleza e simpatia para enganar as vítimas, onde simulava pagamentos por meio de transferências falsas.

De acordo com a delegada responsável pelo caso, Débora Albuquerque, a estelionatária é de Goiânia e estava há oito meses em Brasília e, desde então, vem cometendo crimes. “Ela não dava grandes golpes. Dava golpes para viver. Comprava carro, celular, dava golpe em taxista, em lojas, farmácia. Era uma “trambiqueira”, podemos dizer. Até o momento, temos notícia de, pelo menos, 31 casos contra ela. Mas muitas pessoas estão ligando falando que foram vítimas dela também. Ela é uma moça bonita, sotaque de goiana do interior, usava o charme e abusava da “boa fé” das pessoas para conseguir o que queria”, disse a delegada ao Extra.
Na maioria dos golpes, ela usava cartões que já sabia que não passariam e, por isso, pedia a conta das vítimas. Larissa, então, simulava uma transferência e desaparecia. Com esse truque, a criminosa chegou a comprar celular, moto e até um carro.
“Ela entrava em sites de compra e venda, falava com o vendedor para levar as coisas até ela. O carro e a moto, por exemplo, sabemos que ela fez assim. A pessoa levava e ela pedia a conta para fazer a transferência. Ela chegava a mandar uma simulação da transferência. Mas, quando a pessoa via que o dinheiro não estava na conta, procurava por ela. Ou ela não atendia ou dava desculpas para não depositar. Depois, vendia os itens e comprava coisas para ela” contou a delegada ao Extra.
Outro artifício usado pela estelionatária era fingir que estava grávida. Ela se envolvia com homens de alto poder aquisitivo e fingia estar grávida. Com atestados de gravidez falsos ela chantageava os homens para conseguir dinheiro.  
Assim que Larissa chegou à delegacia de Asa Sul, além dos estelionatos, a polícia descobriu que ela era a responsável por um furto em uma loja de alimentos naturais, que havia acontecido poucas horas antes.
Larissa já foi indiciada por 17 estelionatos e um furto. Os demais casos estão sendo investigados pela Polícia Civil.
Fonte:Reprodução/Diário de Goiás.

2 comentários: